Paraná

Pacientes reclamam de demora em resultados de exames da Covid-19, no Paraná

Governo informou que laboratórios têm até 72 horas para liberar os resultados e reconhece que aumento de coletas para análise tem provocado dificuldades para cumprir prazos.

Pacientes que apresentaram sintomas do novo coronavírus e passaram por exames para a verificação da doença, no Paraná, reclamam de demora na divulgação do resultado.

A conclusão dos testes deveria ser informada aos pacientes em até 72 horas, conforme orientação do Ministério da Saúde.

A neta de Cristina Bitencourt tem dois anos e apresentou sintomas da Covid-19 dias depois que a mãe dela testou positivo para a doença.

Na quarta feira (1º), a criança foi levada ao laboratório do plano de saúde para fazer o exame mais completo, que colhe secreção do paciente com um cotonete e aponta se o vírus está ativo no organismo.

Segundo a avó, no laboratório, funcionários disseram que o resultado do exame da criança deve demorar de 10 a 15 dias pra ser informado.

“É um prazo injusto, porque é ansiedade que a gente está vivendo nesses dias. Estou cuidando de uma filha com sintomas, estou cuidando de uma neta que não pode ficar com a mãe e pode estar contaminada. Eu também estou exposta a um risco”, diz a avó.

O assistente social Michel Keler, que mora em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, conta que começou a sentir dores de garganta e perda de paladar oito dias depois que a esposa teve os primeiros sintomas da Covid-19.

Em 25 de junho, ele fez a coleta para os exames. O resultado, que foi positivo, saiu sete dias depois.

Para não oferecer risco de contágio a outras pessoas durante todos os dias de suspeita, Michel diz que se manteve isolado, mas que, ainda assim, acha que precisou esperar tempo demais pra ter certeza do diagnóstico.

“Eu achei que demorou demais para sair o resultado. A preocupação foi grande nesse tempo”, relata.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que reconhece que o aumento no número de coletas para análise tem provocado dificuldades para cumprir os prazos considerados ideais.

Conforme a secretaria, o Laboratório Central do Estado (Lacen) e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná têm capacidade para processar 5,6 mil exames por dia.

Além disso, de acordo com o governo, há ainda 23 laboratórios públicos e privados habilitados para fazer as análises em todo o estado, pela redes pública e privada.

Tipos de testagem

Segundo a Sesa, há três maneiras de avaliar a presença do vírus da Covid-19 no organismo.

Exame RT-PCR: É feito a partir de amostras de secreção do nariz e garganta e serve para confirmar se o paciente está com o vírus ativo. O material para análise, neste exame, deve ser colhido entre o terceiro e o décimo dia de sintomas;

Exame sorológico: Verifica se a pessoa já teve algum contato com o vírus e se o organismo produziu anticorpos, mecanismos de defesa contra a doença. É feito a partir de uma amostra de sangue. O recomendável é que seja realizado após o décimo dia de sintomas;

Testes rápidos: Também feitos para descobrir a presença do vírus por meio da produção de anticorpos. Segundo os especialistas, não são tão precisos quanto os demais testes. São indicados a partir do sétimo dia de sintomas.

De acordo com o boletim divulgado pela Sesa nesta quarta-feira (8), foram feitos 139.533 exames pela rede pública e laboratórios credenciados no Paraná.

O relatório aponta que 103.246 exames deram negativos e 5.412 estão em análise. Há ainda o testes rápidos, recebidos do Ministério da Saúde e disponibilizados para a rede estadual. Foram realizados, conforme a Sesa, 407.980 testes rápidos.

A diretora de atenção em saúde da Sesa, Maria Goretti Lopes, destacou que os laboratórios têm se empenhado para resolver o problema da demora, apontado pelos pacientes.

“Nós estamos tomando todas as medidas para voltarmos ao prazo máximo de até 72 horas para entregar os resultados dos exames de covid no Paraná. Um esforço gigante das equipes. Tivemos dificuldades, mas estamos superando para entregar esse resultado a quem precisa”, disse.