Mandaguari chega a cinco homicídios em 2024

A cidade de Mandaguari chegou na sexta-feira (5) a cinco homicídios registrados no ano de 2024, quatro deles foram cometidos em um intervalo de 20 dias, sendo um no dia 15 de junho, outro no dia 4 e dois no dia 5. Jhonatan Brado Cabral Pereira, de 30 anos, Daniel Vitor Vieira de Oliveira, de 26 anos, Gabriel Moreira, de 12 anos, e Wesley Rodrigo Romeiro Ferreira, de 28 anos, e a última vítima ainda não foi identificada.

Após o quarto homicídio acontecer, durante o período da tarde uma equipe da Polícia Militar e da ROTAM entrou em confronto contra pessoas armadas e acabaram trocando tiros no Jardim Progresso. Ainda não se sabe quem são essas pessoas e se elas estão relacionadas aos dois últimos homicídios registrados em Mandaguari.

No fechamento desta edição um outro homicídio foi registrado, trata-se de um homem, que não foi identificado, que estava em confronto com a PM. Ele revidou e atirou contra a Polícia e acabou sendo baleado por um policial e veio a óbito no local.

12/2 – Primeiro homicídio
O primeiro homicídio de Mandaguari em 2024 foi registrado no mês de fevereiro no município. Jhonatan Brado Cabral Pereira, de 30 anos, residente anteriormente em Bom Sucesso, foi vítima do ato violento. Segundo relatos, Pereira havia se mudado recentemente para Mandaguari em busca de oportunidades de trabalho.

O incidente ocorreu na manhã de segunda-feira (12), na conhecida Rua 14, situada no Jardim Progresso II. Conforme informações fornecidas pela Polícia, a vítima era conhecida por seu envolvimento com substâncias entorpecentes. Pereira foi atingido por duas facadas na região das costas. Mesmo ferido, tentou caminhar por alguns metros, mas acabou caindo e não resistiu aos ferimentos, vindo a óbito no local.

15/6 – Segundo homicídio
O segundo homicídio de Mandaguari foi registrado no dia 15 de junho, há 20 dias atrás. O corpo da vítima, Daniel Vitor Vieira de Oliveira, de 26 anos, foi descoberto por populares na entrada de uma chácara na PR-444. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, mas a vítima já estava sem vida. As Polícias Civil e Militar foram chamadas e isolaram a área para a realização da perícia. O Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana foi acionado para a remoção do corpo.

Informações preliminares apontam que a vítima foi atingida por cerca de três disparos de arma de fogo e, segundo a Polícia, ele era morador do Jardim Boa Vista, utilizava uma tornozeleira eletrônica e tinha antecedentes criminais.

04/7 – Terceiro homicídio
O terceiro homicídio de Mandaguari foi registrado na quinta-feira (4) e a vítima foi Gabriel Moreira, um adolescente de apenas 12 anos de idade. O crime aconteceu na Rua Tadashi Utiume, conhecida como Rua 8 do Jardim Progresso.

De acordo com informações preliminares, Gabriel estava em um bar comendo e conversando com amigos quando foi surpreendido por dois atiradores, que vieram em uma motocicleta modelo Honda CG 150 de cor preta, e atiraram nele e em outro adolescente. A vítima foi atingida por vários disparos e infelizmente veio a falecer no local. O outro adolescente foi atingido por um tiro na perna e foi socorrido e encaminhado a um hospital da região.

Ainda de acordo com informações preliminares, Gabriel teria sido morto por engano e o caso está sendo investigado pela Polícia.

05/7 – Quarto homicídio
O quarto homicídio foi registrado na sexta-feira (5), cerca de 13 horas depois do terceiro homicídio. O crime foi registrado em frente a Escola Municipal Walter Antunes Pereira, no Cinco Conjuntos. A vítima, Wesley Rodrigo Romeiro Ferreira, de 28 anos, foi alvejado por pelo menos dez tiros e infelizmente morreu no local.

De acordo com informações preliminares, ele buscava sua enteada na escola quando dois homens encapuzados dentro de um carro chegaram atirando.

Ainda de acordo com informações preliminares, a vítima já teria sofrido um atentado à tiros em sua residência na cidade de Jandaia do Sul. Ainda não se sabe quais foram as motivações dos crimes e a Polícia continua investigando o crime.

05/7 – Quinto homicídio
O quinto homicídio foi registrado a poucas horas do quarto. Durante um confronto com a Polícia Militar no Jardim Progresso, um homem, que não foi identificado, acabou sendo baleado por um policial e morreu no local. Ele teria revidado e atirado contra os policiais.

O delegado titular da 55ª Delegacia de Polícia Civil de Mandaguari, Dr. Zoroastro Nery do Prado Filho, deu uma entrevista exclusiva ao Jornal Agora comentando sobre os dois últimos homicídios na cidade: “Estamos com o autor deste homicídio identificado, os trabalhos devem continuar e vamos também já pedir a prisão desse suposto autor, já temos investigadores no caso e aguardamos por mais diligências”.

Câmeras de segurança nos locais gravaram os crimes e irão ajudar a identificar os autores e elucidar os casos.
O delegado também se pronunciou se os dois últimos casos estão interligados ou se tem alguma relação entre as duas vítimas: “Estamos apurando todas as informações para que os casos sejam elucidados”. Por enquanto é muito cedo para se ter essa resposta e a Polícia continua investigando os crimes.

Ele pede a colaboração da população nas investigações através de denúncias anônimas, que auxiliam as investigações e podem ajudar a solucionar os casos. “Um em específico foi o assassinato do empresário Edilson Campos (crime ocorrido em março de 2022). No dia seguinte daquele ano, recebemos uma ligação anônima com informações que nos levaram aos culpados”.

“Se alguém tiver alguma informação que possa nos ajudar, pode entrar em contato com a delegacia pelo telefone (44) 3233-1284 ou até pelo 181, que é um canal de denúncias anônimas da Polícia Civil. A identidade do denunciante será preservada e o anonimato garantido. Nossos investigadores estão empenhados em dar respostas o mais rápido possível a esses crimes, e as informações da sociedade são muito importantes para nós nesse sentido”, garante ele.

2023
No ano de 2023 Mandaguari registrou 7 homicídios e 1 tentativa de homicídio. A maioria deles causados por arma de fogo.

2021 e 2022
Em levantamento sobre crimes de homicídio nos últimos 10 anos em Mandaguari, concluiu-se que o ano de 2021 e 2022 foi o mais violento na cidade, ambos estão empatados com 12 homicídios cada. Em 2022, Mandaguari registrou um assassinato a cada 23 dias, contra um a cada 30 dias em 2021.

A equipe do Jornal Agora comparou o número com dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (SESP/PR) referentes aos últimos dez anos. Os dados da SESP mostram que Mandaguari contabilizou um assassinato a cada 73 dias em 2013, um a cada 91 dias em 2014, um a cada 37 dias em 2015, um a cada 122 dias em 2016, um a cada 73 dias em 2017, um a cada 91 dias em 2018, um a cada 46 dias em 2019 e um a cada 91 dias em 2020.

Há 18 dias, no dia 18 de junho, uma tentativa de homicídio foi registrada em plena luz do dia na Avenida Amazonas, centro de Mandaguari. A vítima, Márcio Gabriel de Souza Ribeiro, de 24 anos, foi atingida por diversos tiros enquanto estava andando em sua motocicleta.

A Polícia Militar foi acionada e colheram informações de que dois homens armados, suspeitos de terem cometido o crime, estavam em um carro, modelo GM Astra de cor vermelha, e que teriam seguido sentido a saída do município.

Por conta disso a PM iniciou um acompanhamento tático pela Avenida Amazonas e após passarem pelo “Curvão”, como é chamada a via, a viatura foi atingida por um outro carro e na sequência acabou capotando. Os policiais e os envolvidos no acidente não se feriram, porém os atiradores conseguiram escapar, mesmo após a Polícia ter realizado um cerco na região.

A vítima atingida pelos disparos foi socorrida pelas equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU e em seguida foi encaminhada a um hospital da região onde, de acordo com a família, continua internado em estado grave.

No mesmo dia foi realizada uma operação policial em Mandaguari e o carro utilizado pelos suspeitos foi recuperado por policiais militares no Jardim Itália, em Marialva. Policiais das Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM), equipes das Rondas Ostensivas com Aplicação de Motos (ROCAM) e policiais militares do 32º Batalhão participaram da ação.