Esporte

Vidas negras importam: jogadores se retiram de campo em protesto, e MLB cancela jogos da rodada

Atletas da principal liga de beisebol dos Estados Unidos reforçam movimento antirracista com mais um boicote. Mets e Marlins fazem 42 segundos de silêncio antes de deixarem gramado

Principal liga de beisebol dos Estados Unidos, a MLB resolveu seguir o exemplo da NBA nas ações do movimento "black lives matter" (vidas negras importam). Nesta quinta, quatro partidas da competição não aconteceram após jogadores dos times envolvidos realizarem um boicote.

No jogo entre New York Mets e Miami Marlins, atletas das suas equipes fizeram 42 segundos de silêncio antes de se retirarem do campo. Alguns dos jogadores vestiam a mesma camisa com a inscrição "black lives matter" usada na NBA.

- A injustiça social e o racismo sistêmico fazem parte da estrutura de nossas vidas há muito tempo. Temos a responsabilidade de usar nossa plataforma, de dar nossa voz àqueles que não estão sendo ouvidos - disseram os jogadores por meio de um comunicado.

Segundo a MLB, todas as partidas serão remarcadas para novas datas.

A onda de protestos nas principais ligas esportivas começou nesta quarta, quando o Milwaukee Bucks liderou um histórico boicote à NBA ao não entrar em quadra para enfrentar o Orlando Magic pelo jogo 5 do playoff.

O caso que levou os jogadores a não entrar em quadra envolve o cidadão americano Jacob Blake, que é negro e levou sete tiros pelas costas da polícia de Kenosha, no estado do Winsconsin, no último final de semana, quando tentava apartar uma briga entre duas mulheres. Na hora, Blake estava desarmado e perto dos filhos. Ele está internado e perdeu o movimento das pernas segundo familiares.