Região

Ultrafreezer do HU de Maringá poderá armazenar vacinas da Pfizer

Nos próximos dias, Maringá vai receber 9.360 doses da vacina contra a Covid-19 produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer, em parceria com Comirnaty e BioNtec.

O imunizante obteve o registro definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em fevereiro deste ano, e o Hospital Universitário (HU) da UEM se colocou à disposição para armazenar as doses, já que possui um ultrafreezer que mantém a temperatura em -80ºC.

As vacinas da Pfizer podem ser armazenadas por até seis meses em temperatura entre -90ºC e -60ºC, e nem todas as cidades têm equipamentos capazes de atingir valores tão baixos, a chamada “ultrabaixa temperatura”.

Em um freezer comum, com temperatura entre -25ºC e -15ºC, o imunizante só pode ser armazenado pelo período de até duas semanas.

Atualmente, o ultrafreezer do HU armazena materiais biológicos, como vírus, bactéria, sangue, plasma e outros componentes.

As amostras são provenientes das pesquisas feitas pelo Núcleo de Pesquisa Clínica ou da assistência aos pacientes do hospital.

Com a chegada das vacinas contra a Covid-19, esses materiais serão remanejados para outros ultrafreezers, instalados na sede da UEM, que são compartilhados com os diversos pesquisadores.

O ultrafreezer do HU tem capacidade para armazenar 80 mil criotubos de 2 ml.

Mas isso não quer dizer que serão 80 mil doses de vacina, como explica a coordenadora de estudos do Núcleo de Pesquisa Clínica do HU, Sandra Bin Silva.

“O equipamento pode armazenar até 80 mil criotubos de 2 ml, mas essa não é a apresentação da vacina, então ainda não sabemos quantas doses vão caber. Vai depender das embalagens em que elas virão, se serão de 10 ml, ou até seringas prontas, como é na Inglaterra”, explicou em entrevista ao GMC Online.

Para garantir a conservação dos materiais, o ultrafreezer apita caso a temperatura caia para -75ºC. No HU, o equipamento está instalado em um ambiente climatizado, mantido a 20ºC.

“Para o equipamento não queimar, a temperatura do ambiente em que ele está precisa estar em 20ºC, porque ele produz muito calor para manter a temperatura interna em -80ºC. Então o local onde ele fica tem ar-condicionado, que fica ligado 24h”, detalha Sandra.

Além disso, o ultrafreezer é aberto apenas uma vez ao dia. 

“Toda vez que a gente abre a porta do equipamento, ele entra em contato com a temperatura externa e produz gelo. Isso é ruim porque diminui o espaço físico interno. Então, não podemos abrir toda hora. Abrimos no máximo uma vez ao dia, em horário pré-determinado. Todos os pesquisadores vão naquele horário e retiram os materiais de uma só vez”, acrescenta.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Paraná recebeu 67,8 mil doses da vacina da Pfizer, que serão distribuídas em quatro cidades: Maringá, Cascavel, Londrina e Curitiba. A data de distribuição ainda não foi definida.