Esporte

Santos não quita dívida por Soteldo, e Huachipato pede que Fifa aplique punição

Advogado de clube chileno diz que CAS manteve decisão e cobrança ao Peixe

O Santos pode sofrer mais uma punição na Fifa. Depois de não receber US$ 3,4 milhões pela venda do atacante Soteldo, o Huachipato, do Chile, agora cobra que seja aplicada mais uma proibição de contratação de novos jogadores ao Peixe - a sanção está prevista em casos como este.

De acordo com o advogado Eduardo Carlezzo, que representa o Huachipato no caso, o TAS ratificou a decisão da Fifa que obriga o Santos a pagar a dívida. Além disso, definiu que o não pagamento pode levar o Peixe a ficar proibido de contratar por até três janelas de transferências.

– Além da condenação financeira, a decisão também declara que o não pagamento levará o clube a ser proibido de contratar novos jogadores pelo prazos de até três janelas de transferência. Como não houve o pagamento da dívida no prazo fixado, solicitamos à Fifa que implemente a punição de proibir o clube de contratar novos jogadores – declara Carlezzo.

Se for punido novamente pela Fifa, o Santos terá duas proibições para contratar novos jogadores. A primeira é referente à compra do zagueiro Cléber Reis. O Peixe deve cerca de R$ 25 milhões (já com multa e juros) ao Hamburgo, da Alemanha, e busca desde o início do ano um acordo, mas até agora sem sucesso.

A relação entre Santos e Huachipato não é das melhores desde a tentativa do Atlético-MG de contratar Soteldo. No início de 2020, o Galo fez uma proposta de R$ 51 milhões para comprar o atacante, e os chilenos insistiram na venda alegando que o Peixe teria de comprar os outros 50% caso não aceitasse a oferta.

O Santos, porém, se negou a aceitar o pedido do Huachipato, recusou a proposta do Atlético-MG e ainda renovou com Soteldo.