Política

Saiba o que cada vereador disse durante a sessão de segunda-feira

Confira principais trechos das falas dos legisladores sobre a manifestação

Confira trechos do que disseram os vereadores sobre a manifestação de segunda-feira (11) na Câmara de Mandaguari. Os moradores cobraram principalmente melhorias na saúde e a cassação do prefeito Romualdo Batista (PDT).

Nilton Boti (DEM)

O vereador declarou que é de suma importância a população participar e acompanhar as sessões da câmara, levando suas dificuldades ao legislativo. “Os vereadores são aqueles que ouvem a população. Obrigado por terem vindo aqui, essa casa está sempre de portas abertas. O pedido da população será estudado com muito carinho”, falou, referindo-se à solicitação de abertura de CPI.

Boti também destacou a atuação dos vereadores na fiscalização da saúde

Sebastião Alexandre (PMDB)

O legislador ressaltou que “faltam bastante especialistas para atender nossa população. Pedimos ao Executivo através de projeto que será analisado essa semana que atenda a população o mais rápido possível, contrate mais médicos, auxiliares, enfermeiros e recepcionistas. A nossa população é que está sofrendo. Essa imensa fila que acontece é por causa da falta de médicos”.

Clarice Ignácio Pessoa Pereira (PP)

A vereadora falou sobre a fiscalização ativa dos vereadores e, sobre o pedido de cassação do prefeito, afirmou que seria “um tiro no pé”.

“Quando você fala que a gente vai fazer essa CPI e de repente a gente tira o prefeito, pra mim sem problema. Não votei no prefeito, não coloquei ele lá. Sou oposição e sempre fui. Só que, de repente a gente não vai estar dando um tiro no pé também? Tirando ele a gente vai colocar o vice. E cadê o vice nessa história? Mentiu junto com ele. Não deveria estar com o prefeito agora? Uma hora dessas ninguém sabe onde ele está”, disparou Clarice.

Eron Barbiero (PSB)

Barbiero relatou que destaca os problemas da saúde há meses, e disse que a secretária de Saúde, Vanessa Bueno Moreira Javera Castanheira Néia, “entrou em uma fria” ao assumir a pasta.

“Você é uma pessoa do bem, mas teve e terá um desafio muito grande. A gente vai continuar fazendo a fiscalização necessária, principalmente através de documentos”. Além disso, Eron destacou que já fez diversas denúncias contra a gestão atual e seu próximo passo será acionar o Ministério Público.

Jorge do Alambique (PDT)

O vereador disse que o povo precisa se mobilizar mais vezes. “Se soubesse a força que tem, conseguiria mover montanhas. Prova disso é o Tarifa Zero. Quando essa casa encheu de gente, a população abraçou e resolvemos o problema. Talvez, com o clamor da população, podemos resolver muitos problemas no nosso município”, destacou.

Jorge também cobrou posicionamento dos aliados de Batistão. “Cadê os grupos políticos que batiam palma para o prefeito?”. O vereador falou ainda que, apesar de estar no mesmo partido de Romualdo, sempre foi oposição. “Ele tomou meu partido. Precisei entrar na Justiça para ter registro de candidatura. Denunciei o Romualdo muitas vezes no Ministério Público e se precisar denuncio de novo”, concluiu.

Jocelino Tavares (PT)

O ex-presidente da Câmara disse que foi eleito vereador para fiscalizar. “E sempre fiscalizei, sozinho. Agora dessa vez reunimos todos os vereadores. Fomos todos às UBS para ver o que estava faltando. Tem gente falando que vai vir dinheiro e médico porque os vereadores estão fazendo pressão. Os vereadores sempre fiscalizaram”.

Tavares concluiu sua fala questionando a motivação do movimento de protesto. “Quem está por trás de tudo isso acontecendo aqui hoje? Qual a intenção disso?”, finalizou.

Luiz Carlos Garcia (PPS)

O legislador declarou que os vereadores fizeram questionários e levaram em todos os postos de saúde do município. “Cada responsável de cada UBS respondeu o que estava faltando, desde papel toalha até equipamentos e profissionais. Entregamos na mão da secretária. A saúde não anda bem já faz tempo”.

Garcia destacou que havia cartazes pedindo a saída da nova secretária, e lembrou que ao menos cinco nomes já passaram pela Saúde municipal. Ele alega que é necessário tempo para que a secretária desempenhe seu papel.

“E outra coisa, como a Clarice falou, teria todos os motivos também para cassar o prefeito, pois não votei nele. Mas a partir do momento que fui eleito, sou do município, estou aqui para legislar e fiscalizar, e é isso que estamos fazendo. A impressão é que o mesmo grupo que colocou ele lá quer tirar agora, por briga política, por secretaria”, acrescentou.

Márcia Serafini (PT)

Secretária de Saúde no primeiro mandato de Batistão, Márcia Serafini defendeu a permanência da secretária de saúde. “Quando temos interesse que a gestão no Executivo e Legislativo seja em conjunto, que de fato venha de encontro ao anseio dos nossos munícipes, não com interesse de grupos que utilizam de horas e momentos para fazer palanque eleitoral. Não adianta cobrar com mérito político. Não acho, de fato, que a solução é a retirada da secretária de saúde”.

Hudson Guimarães (PPS)

O presidente da Câmara lamentou a retirada de alguns manifestantes do local e disse que “infelizmente foi necessário tomar uma medida enérgica” a respeito do tumulto na casa de leis.

Sobre possível cassação do prefeito, Hudson afirmou que “gostaria que entendessem que hoje, em especial, seria fácil navegar no mar da desgraça do Romualdo. Muitas pessoas manifestaram desejo expresso de que ele fosse retirado do governo de Mandaguari. Uma vez que somos eleitos representantes, é nosso papel avaliar o que precisamos avaliar e tomar as medidas cabíveis, seja denúncias ou não. Não estamos aqui para engrossar o caldo daqueles que empunharam as bandeiras do Romualdo e hoje estavam empunhando cartazes de ‘fora Batistão’”.

O vereador declarou que apoia as manifestações e vai manter o que considera uma fiscalização “firme e séria, acompanhando todos os passos do Executivo”.