Esporte

Novorizontino vence Fast em Manaus e larga na frente rumo ao acesso

Time de Novo Horizonte aproveita desfalques do rival e agora só precisa de um empate em casa, onde ainda não perdeu na Série D, para chegar nas semifinais e, consequentemente, no tão sonhado acesso.

O Novorizontino aproveitou os desfalques do Fast e, de forma cirúrgica, bateu o rival por 1 a 0 neste domingo, fora de casa, na Arena da Amazônia, em Manaus, e deu um passe gigantesco rumo às semifinais da Série D e, consequentemente, ao acesso inédito à Série C do Brasileirão de 2021.

O gol da vitória foi marcado ainda no primeiro tempo, por Guilherme Queiroz.

Com a vitória, o Tigre agora só precisa de um empate em casa, onde ainda não perdeu até aqui na Série D, para avançar às semifinais e, consequentemente, garantir o acesso inédito à Série C do Campeonato Brasileiro.

Já o Fast, que perdeu sua invencibilidade em Manaus, precisa fazer o que ainda não fez no mata-mata: vencer fora.

Vitória por um gol leva a decisão para os pênaltis, enquanto qualquer vantagem superior a dois gols de diferença será o suficiente para se classificar no tempo normal.

As duas equipes voltam a se encontrar no próximo domingo, dia 10 de janeiro, no estádio Jorge de Biasi, em Novo Horizonte, interior de São Paulo.

Apesar dos sete desfalques por Covid-19, o Fast entrou em campo com a mesma postura ofensiva e tentando imprimir seu ritmo de jogo.

Consequência disso foi que com menos de cinco minutos, após insistência de Dija Baiano após bola rifada do campo de defesa, Régis recebeu passe cara a cara com Giovanni e chutou em cima do goleiro, em primeira grande chance desperdiçada pelo time da casa.

O Novorizontino, aos poucos, foi se encontrando taticamente, passou a marcar por zona e sair nos contra-ataques e nas bolas paradas.

Aos 13, após cruzamento na medida de Pereira, a zaga do Fast se posicionou mal dentro da área, e Guilherme Queiroz, livre no segundo pau, acertou um chute de extrema categoria para abrir o placar.

O Tricolor sentiu o baque e demorou para se reencontrar na partida.

Quando o fez, voltou a perder oportunidades. Dênis Pedra perdeu uma após consgeuir boa tabela, e Mateus Oliveira, aos 38, desperdiçou a mais clara.

Quase nos acréscimos, Bernardo Benjamin ainda saiu machucado e deu lugar para Guigui.

Ao contrário do ritmo intenso da primeira etapa, o segundom tempo começou devagar, mas com os visitantes ligeiramente superiores em campo.

O Rolo Compressor, ao menos nos 10 primeiros minutos, parecia sentir a falta de entrosamento e o desgaste de alguns atletas que não vinham tendo tanta frequência.

Pouco a pouco, o Tricolor passou a encontrar mais espaço, e num deles Edson Silva evitou gol de Mateus Oliveira.

Aos 15, o Fast criou de novo. Ítalo roubou a bola no campo de ataque e tocou de lado para Dija Baiano na entrada da área.

O camisa 7 tinha opção de passe, mas optou pelo chute direto e tirou tinta da trave direita de Giovanni.

O Fast promoveu um blitz nos minutos seguintes.

O próprio Dija Baiano, aos 18, forçou Giovanni a espalmar para escanteio.

Na cobrança, Tiago Pará subiu no terceiro andar, mas cabeceou na rede pelo lado de fora.

O Tigre ainda assustou após falha de Guigui e com jogada individual de Caio Monteiro.

Primeiro o treinador da equipe, Ricardo Lecheva, ganhou licença médica após sua filha nascer sem vida em decorrência de parto prematuro.

O Fast não treinou na quarta, mas voltou na quinta sob comando do auxiliar Igor Oliveira. Na sexta, outra "bomba" explodiu no vestiário.

O clube confirmou que oito atletas, além do próprio auxiliar, testaram positivo para Covid-19.

Em boletim médico divulgado neste sábado, o clube ainda disse que outros 10 que testaram negativo estão com sintomas da doença.

O clube até solicitou o adiamento da partida, mas teve o pedido negado pela CBF.