Política

Moradores realizam manifestação em sessão da Câmara de Mandaguari

Ato ocorreu para reivindicar melhorias em saúde e outros setores. Manifestantes pediram instalação de CPI da Saúde e cassação do prefeito

Na noite de segunda-feira (11), moradores lotaram a Câmara de Vereadores de Mandaguari durante a realização de um protesto reivindicando melhorias no município.

A movimentação em frente à sede do Legislativo começou por volta de 19h30, meia hora antes da sessão da noite. Alguns manifestantes carregavam cartazes pedindo melhorias, enquanto outros estavam com os dizeres “Fora Batistão”.

O principal objetivo do ato foi pressionar os vereadores para que obtenham resposta do Executivo e busquem melhorias em saúde, segurança pública, educação e outros setores. Outra reivindicação foi que os legisladores instaurassem uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar se os recursos destinados à saúde estão sendo aplicados como deveriam. 

Sessão

Ao início da reunião, o presidente da Câmara, Hudson Guimarães (PPS), explicou que o Legislativo seguiria os ritos de uma sessão ordinária, com discussão e votação de projetos, apresentação e discussão de requerimentos, uso da tribuna e tempo para considerações pessoais.

Guimarães também ressaltou que o regimento interno da Câmara prevê que a população acompanhe as sessões, porém de forma pacífica. “As manifestações são democráticas e importantes no desenvolvimento da sociedade, mas nessa situação precisam ser silenciosas”, e declarou que não poderiam ocorrer tumultos no local.

A sessão transcorreu normalmente e os ânimos só se exaltaram próximo ao fim. Hudson precisou suspender a reunião por dez minutos durante a fala do vereador Sebastião Alexandre (PMDB), e sete pessoas que foram acusadas de causar tumulto foram retiradas do Legislativo.

Uso da tribuna

O único morador que fez uso da tribuna, antes das explicações pessoais dos vereadores, foi Alex Domingues, líder dos manifestantes. Em sua fala, ele destacou os problemas da saúde e pediu que os legisladores instaurassem a CPI da Saúde, para investigar onde os recursos da pasta estão sendo aplicados.

“Não é do desconhecimento de ninguém que parte da população está desgostosa e sofrendo com as consequências da administração. Além disso, o nosso intuito do movimento em si é pedir uma fiscalização maior na parte da saúde, tendo em vista que nas UBS faltam medicamentos, falta o leite e principalmente os médicos”, declarou Domingues.

Em sua fala, o morador destacou as filas da saúde. “230 pessoas aguardando o cadiologista, 87 para neuro adulto, 56 para neuro infantil. Lembrando que o primeiro da fila no infantil deu entrada dia 31 de outubro de 2018, então há mais de dois anos uma criança está esperando neuro”, complementou.

Vereadores

Após a fala do morador, os vereadores fizeram uso do tempo para explicações pessoais. Eles concordaram com as reivindicações da população e destacaram que, na área da saúde, estão efetuando fiscalização intensa. O pedido de CPI será estudado pela casa de leis.