Esporte

Grêmio sustenta jogo em Rafinha e engata oitava vitória seguida antes do Gre-Nal

Tricolor encaminha situação na Copa Sul-Americana com 3 a 1 sobre o Lanús, nesta quinta-feira, na Arena

Mais uma vitória, a oitava consecutiva, sexta com Tiago Nunes, deixa o foco do Grêmio sólido e único nos próximos dois clássicos Gre-Nais, pela final do Gauchão. Ao vencer o Lanús por 3 a 1 com mais um teste no meio-campo, o Tricolor se encaminhou na Sul-Americana e deu mais um passo para se solidificar com o treinador. Rafinha se consolida cada vez mais como regente da equipe e foi o pilar da atuação.

Com 12 pontos no Grupo H, o Grêmio está seis à frente do próprio Lanús e do La Equidad. Assim, um empate em dois jogos basta para estar na próxima fase. Pode, portanto, garantir isso mesmo com uma equipe com preservações contra o Aragua, na próxima semana, entre os Gre-Nais.

O time se solidifica cada vez mais a partir do seu meio-campo. Tiago Nunes testou desde o início Lucas Silva, Thiago Santos e Matheus Henrique juntos. Logo nos primeiros minutos, Matheus apareceu na área para outro gol de cabeça - já havia feito contra o Caxias, no domingo.

Dar liberdade ao camisa 7, como já ocorrera com Darlan, tem se mostrado efetivo. A Lucas Silva pareceu faltar naturalidade no estilo de toques rápidos para fazer o 4-1-4-1 bem desenhado fluir.

— Trocamos bastante, criamos variações, testamos atletas diferentes. Estamos ainda procurando os atletas que melhor se complementam. Isso varia jogo a jogo. Agora é entender a melhor formação para domingo — comentou Tiago Nunes.

Foram cerca de 40 minutos de teste, já que Thiago Santos sentiu dor na coxa e deu lugar a Maicon, um volante de mais saída. Lucas Silva recuou e passou a fazer a função antes exercida pelo camisa 5.

O Grêmio viu o Lanús pressionar com uma linha de quatro jogadores, com De La Vega, Orsini, Sand e Lautaro Acosta. Inicialmente, apresentou problemas para sair jogando e, como sofreu o empate logo na sequência, em bola aérea, não havia nem a possibilidade de administrar o resultado.

Rafinha, especialmente, entrou em ação. Jogador mais acionado da etapa inicial, passou a virar o jogo com bolas mais longas e evitar a pressão do rival. Apesar de faltar volume ao Grêmio, o segundo gol veio em grande lance de Ferreira, um dos nomes do time, com o lateral. Cruzamento na cabeça do camisa 11.

Depois, o lateral-direito ainda participaria do terceiro gol, com um passe digno de meia, encontrando Diego Souza às costas da marcação — é verdade que o centroavante parecia impedido, mas a arbitragem nada assinalou.

Rafinha foi o jogador com mais passes completos da partida (73) e conduziu o Grêmio. O time não manteve um ímpeto tão grande, mas trocou passes, apareceu no campo ofensivo e mostrou ações coordenadas para deixar Ferreira brilhar.

Também é verdade que sofreu em alguns momentos, especialmente a partir de erros próprios. Ruan tinha a bola dominada, tentou afastá-la, mas deu no pé de um adversário. Na área, Sand recebeu e perdeu na cara de Brenno no primeiro tempo.

No segundo, Ferreira tentou um chute após cobrança de escanteio curta e foi bloqueado. O ataque rápido do Lanús levou perigo.

O resultado, no entanto, deixa um cenário tranquilo para Tiago Nunes. Um treinador não começava com seis vitórias consecutivas no Grêmio desde Evaristo de Macedo, em 1997.

Com um clássico Gre-Nal que vale taça pela frente, nada melhor que um bom início para solidificar as bases do trabalho. O Grêmio volta a treinar nesta sexta-feira, à tarde, no CT Luiz Carvalho.