Mandaguari

Em recuperação

Mandaguari registra crescimento de na arrecadação durante o primeiro semestre. Saldo foi de quase 3%.

Aos poucos, a economia começa a mostrar sinais de recuperação, mesmo durante a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Nesta semana, a reportagem do Jornal Agora fez um levantamento, com base em dados do Portal da Transparência, que mostra que, mesmo com a crise, a economia não teve uma queda tão brusca.

No primeiro semestre de 2019, os cofres municipais registraram arrecadação de R$ 48,5 milhões, enquanto no primeiro semestre deste ano, mesmo com a pandemia e restrições a diversos setores da economia, o município arrecadou R$ 49,9 milhões. “Podemos dizer que não perdemos muito”, avalia o secretário de Planejamento e Finanças, Hamilton Sampaio.

“Mandaguari recebeu do Governo Federal um auxílio de R$ 4 milhões, dividido em parcelas, para repor as perdas de arrecadação. Esse valor ameniza a queda”, complementa o secretário. Ainda segundo Sampaio, o município também recebeu verba destinada ao combate da Covid-19, montante que vai impactar de forma positiva na arrecadação. Os resultados, segundo ele, demonstram uma possibilidade de recuperação mais rápida do que o esperado.

Para o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Mandaguari (Aceman), Aguinaldo Campigotto, outro fator que influencia no resultado é a injeção do auxílio emergencial de R$ 600 na economia. “O governo agiu rápido para oxigenar a economia em um momento em que todo mundo estava fechando as portas. Outro ponto que pode ser levado em conta é que uma parte desse dinheiro fica no comércio local”, avalia.

Com restrições de deslocamento e abertura de estabelecimentos também em cidades da região, como Maringá, é natural que os moradores consumam mais em Mandaguari. A Aceman ainda promove uma campanha de fomento ao comércio local, que começa a apresentar resultados.

“Também começamos a planejar nossa campanha de natal, que no ano passado deu um bom resultado, e acreditamos que até dezembro as coisas estarão bem melhores”, pontua Campigotto.

Aguinaldo aponta ainda que, apesar da recuperação sentida diretamente pelo comércio e também pela indústria, há outros setores que ainda sofrem com severas restrições e vão levar mais tempo para voltar a atuar. “Gente que trabalha com eventos, ou até mesmo trabalhadores como garçons, que acabam ficando parados, já que os restaurantes estão com atendimento restrito.

Mandaguari teve arrecadação de R$ 48.513.834,77
no primeiro semestre do ano passado/Arte: Jornal Agora
Em 2020, a arrecadação foi de R$ 49.909.402,41
no primeiro semestre/Arte: Jornal Agora

 

Indicadores de emprego

Um indicador que deve ser levado em conta é o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Até o fechamento desta edição, os números disponíveis mostravam índices de contratação e demissão registrados até maio. Mandaguari começou o ano com saldo positivo em janeiro (79 vagas formais abertas) e fevereiro (264 novas vagas).

Em março, primeiro mês de quarentena, o número de contratações caiu. Naquele período foram 369 admissões e 307 desligamentos, mas o saldo ainda ficou positivo, com 62 novos postos formais de trabalho abertos.

Em abril o volume de demissões superou o de contratações, e o município encerrou 69 vagas de emprego. Em maio foram fechados 56 postos formais de trabalho. Apesar do resultado negativo, o indicador mostra que o volume de demissões começou a diminuir. No acumulado de 2020, foram 1.697 contratações e 1.417 desligamentos em Mandaguari, ou seja, saldo positivo de 280 empregos abertos desde o começo do ano.

Números dos auxílios criados durante a pandemia

AUXÍLIO EMERGENCIAL – A reportagem apurou, com base em dados do Portal da Transparência, que, em abril, quando o benefício começou a ser pago, pouco mais de cinco mil mandaguarienses receberam o auxílio. Somente naquele mês, benefício foi responsável pela injeção de R$ 3,7 milhões na economia local. A Caixa Econômica Federal ainda não divulgou balanço dos outros meses. O benefício pago pelo governo federal tinha previsão de três parcelas, sendo prorrogado por mais dois meses.

CARTÃO COMIDA BOA – Outro auxílio emergencial criado durante a pandemia para incentivar o consumo e repor renda de famílias carentes foi o Cartão Comida Boa, do Governo do Paraná. Mandaguari recebeu 2.449 cartões destinados a famílias inscritas no Cadastro Único, porém quase 700 não foram retirar e perderam o benefício de R$ 50 por três meses.

Movimento em alguns seguimentos aumentou

Em alguns setores do comércio, o movimento aumentou. É o caso de materiais de construção. O gerente da Comercial Ivaiporã em Mandaguari, Jefferson da Silva Terencio, disse que ficou surpreso com o aumento nas vendas. “Todo mundo estava aguardando uma recessão, o pessoal segurar o dinheiro. No nosso caso, aconteceu o inverso. Como não se pode viajar, sair, gastar fora, o pessoal resolveu fazer pequenas reformas em casa. Isso aqueceu bastante o seguimento de materiais de construção”, destaca.

Airton Augusto de Souza, proprietário da Casa Vitória e do Bazar Vitória, também viu a clientela aumentar. “Passados aqueles primeiros 15 dias de portas fechadas em março, tivemos que fazer alguns cortes, principalmente na equipe, mas o movimento acabou aumentando algum tempo depois”, aponta.

Souza enxergou na crise causada pelo coronavírus uma oportunidade, a de ampliar os negócios. “Tem muita gente fechando as portas e vagando pontos na Avenida. Há casos de lojistas que conseguem um imóvel melhor pagando o mesmo preço do anterior, e no nosso caso conseguimos negociar para anexar mais um imóvel, de 750m², a ampliar a Casa Vitória. Estamos ampliando a linha de produtos, trazendo mais itens e variedade pro consumidor de Mandaguari”, detalha.

“Acredito que em toda crise há uma oportunidade. Nesse caso da crise causada pelo coronavírus, creio que quem continuar no mercado vai ter muitas oportunidades de se recuperar e crescer”, conclui.

*Reportagem publicada na 349ª edição do Jornal Agora