Esporte

Coordenador de futebol feminino do Flamengo afirma: "Em 2021, muito mais forte do que em 2020"

Clube planeja aumentar o investimento nos times femininos e aposta na renovação do elenco

As equipes femininas do Flamengo disputaram duas competições simultâneas na última temporada, o Campeonato Brasileiro Feminino Sub-18 e o Campeonato Carioca Feminino. Apesar do bom desempenho em determinados momentos, o time não conquistou qualquer taça na temporada e perdeu a hegemonia no estado.

O Flamengo chegou até a segunda fase do Brasileirão Feminino Sub-18, quando foi desclassificado pelo Internacional. No Campeonato Carioca Feminino, a equipe rubro-negra chegou até as semifinais, mas perdeu a vaga para o Fluminense.

Em março de 2021, após a participação do time em ambas as competições, foi criado o cargo de coordenador de futebol feminino. O cargo ficou com André Rocha.

- Não foi criado por causa dos resultados esportivos dos últimos tempos, mas pela necessidade de organização e do crescimento da modalidade. O futebol feminino tem se profissionalizado cada vez mais, e a demanda administrativa do clube é muito maior - afirma o coordenador.

Ao falar sobre a derrota do Flamengo no Campeonato Carioca Feminino, André Rocha afirma que a competição não foi considerada uma prioridade para a equipe.

- Não foi um campeonato que nos impactou tanto dentro do nosso planejamento, não foi o nosso objetivo. Claro que o Flamengo sempre entra na competição para ser campeão, mas tivemos outros critérios e outra conduta para essa competição, que foi vista como uma pré-temporada. Isso ficou claro para as atletas e para a comissão técnica.

Apesar da derrota do Flamengo, o coordenador ressalta a importância da vitória do Fluminense no Brasileirão Feminino Sub-18 e do Botafogo no Campeonato Carioca Feminino.

- O cenário vem melhorando, e o crescimento é bom para todo mundo. É um momento importante para o Rio de Janeiro, é importante para o projeto do Botafogo e para o fortalecimento do projeto do Fluminense. Onde tem hegemonia, tem uma desvalorização do produto.

Para as próximas competições, André Rocha afirma que o investimento será maior e que mudanças já começaram a ser feitas, visando um resultado positivo para o clube.

- O nosso planejamento é de médio prazo, por volta de dois anos. A primeira medida é a renovação do elenco, já liberamos algumas atletas no final do ano e estamos liberando mais agora. Temos um rejuvenescimento do elenco, com um aproveitamento maior de algumas atletas da base.

- Uma segunda remessa de reforços são as atletas mais experientes, com posições estratégicas. Em 2022, teremos um aumento grande no investimento e um amadurecimento do time. Estamos passando por essa fase de renovação com a certeza de que o Flamengo vem, em 2021, muito mais forte do que em 2020 - conclui André Rocha.