Esporte

"Chocado" com Ayrton Senna, Damon Hill revela "pressão" após morte do brasileiro

Companheiro do tricampeão na temporada 1994, ex-piloto britânico falou que para Senna "havia espaço para apenas um piloto no circuito"

Campeão mundial de 1996 e companheiro de Ayrton Senna na Williams em 1994, Damon Hill falou sobre o brasileiro em entrevista à F1 Racing. O britânico também revelou como se sentiu ao liderar a equipe de seu país após a morte do tricampeão no GP de San Marino de Fórmula 1, em Imola.

“Não vou mentir, houve momentos em que fiquei chocado com algumas das coisas que ele fez. Eu não concordava com a atitude dele de que havia espaço para apenas um piloto no circuito”, disse o britânico sobre Senna, cujas vitórias você relembra em galeria especial no fim desta matéria.

"Mas você tem que admirar o comprometimento de Ayrton. Ele era uma pessoa muito corajosa e eu me sinto privilegiado por tê-lo conhecido, mesmo que por um breve período”, ponderou Hill, que também foi companheiro de Alain Prost na equipe de Grove, em 1993.

O britânico esteve ao lado de Senna por menos tempo. Entretanto, Hill enaltece o período: “Tive muito pouco tempo como companheiro de Ayrton, mas foi precioso e muito revelador, aprendi assistindo. E antes, como muitos outros, assisti Ayrton quando eu ainda era um aspirante a piloto, como um fã”. O brasileiro conquistou três títulos na F1 e venceu 41 provas (veja galeria exclusiva abaixo que detalha todos os triunfos de Senna).

O campeão de 1996 destacou o peso de liderar a equipe após a morte de Ayrton. Hill estava somente em sua segunda temporada completa na F1. “Não foi uma experiência que alguém gostaria de passar. Tivemos que lidar com as mortes de dois pilotos [Senna e Roland Ratzenberger] e você se pergunta: ‘Por que fazer algo que pode tirar sua vida e causar muita dor às pessoas?’.”

"Não foi algo que eu imaginei fazer no começo da temporada. Eu não estava preparado para lidar com a pressão, especialmente porque eu tinha muito apoio do Brasil e sentia uma enorme pressão”, revelou.

 

Schumacher

Naquele ano, Hill acabou perdendo o campeonato por apenas um ponto para o alemão Michael Schumacher, que conquistou seu primeiro título a bordo da Benetton, comandada pelo italiano Flavio Briatore.

O britânico falou sobre as habilidades do rival e o comparou a Senna: “Michael tinha um enorme talento natural. Pelo que vi, não acho que ele era muito bom em acertar o carro, mas tinha a capacidade de pilotar qualquer coisa, como Ayrton”.