Paraná

Bebê recém-nascida passa por cirurgia considerada inédita no Paraná para retirar tumor no pescoço

Em uma sala de ultrassom a mãe descobriu que Antonela pesava 600 gramas, e um tumor ocupava 60% da área do pescoço dela.
(Foto: G1 Paraná)

Foi no meio da gravidez que a mãe recebeu uma notícia fora dos planos. Em uma sala de ultrassom, Aline Bueno descobriu que sua filha Antonela pesava 600 gramas, e um tumor ocupava 60% da área do pescoço dela.

Uma situação rara que colocou em risco a vida da bebê. Conforme ela se desenvolvia na barriga, o tumor também crescia e pressionava o sistema respiratório e digestivo dela.

"Esse bebê não conseguia deglutir intrautero. Quando o bebê está dentro da barriga ele precisa engolir o líquido amniótico. Se líquido aumenta demais, o útero sente como se a gestação dela estivesse chegando ao final", explicou Cláudio Gomes, médico especialista em medicina fetal.

Para planejar o parto, os médicos utilizaram de imagens em 3D para ter uma dimensão do tumor. A mãe recebeu anestesia geral, e os médicos conseguiram retirar a bebê.

Três dias depois, Antonela voltou para o centro cirúrgico mas, dessa vez, para retirar o tumor que estava no pescoço.

"Era um tumor de, aproximadamente, nove centímetros, o que seria maior do que uma laranja, em uma criancinha de 2,5 quilos. Graças a Deus e a essa equipe incrível, o tumor foi retirado completamente, e a criança saiu sem nenhuma sequela", comentou Marja Reksidler, médica especialista em cirurgia do pescoço.

Uma biópsia mostrou que o tumor era benigno. A bebê vai continuar sendo acompanhada e está saudável.