Política

Acusadas de causar tumulto, sete pessoas foram retiradas de sessão que contou com manifestação

Durante a manifestação realizada na noite de segunda-feira (11), sete moradores foram retirados das dependências da Câmara de Vereadores. A ação ocorreu após eles serem acusados de tumultuarem a sessão.

Uma das pessoas que foi retirada do local trata-se de Leonardo Nogueira, morador do Jardim Progresso. À reportagem ele disse que seu bairro precisa de melhorias no asfalto e na saúde, e negou que tivesse causado qualquer tipo de tumulto.

“A gente quer saber a resposta deles, para onde está indo o dinheiro destinado pra saúde. Tem filas em UBS, nos postos de saúde de Mandaguari. Estamos procurando nosso direito, nossa resposta, e fomos obrigados a nos retirar. Estávamos fazendo uma manifestação pacífica. Espero que o presidente da Câmara lembre que cada tijolo de lá fomos nós que pagamos para colocar. O povo quer respostas”, declarou Nogueira.

Outra moradora retirada do local foi Maria Taborda Batista, que reside no Jardim Cristina. Ela conta que está há três anos aguardando para realizar procedimento que ainda não foi liberado pela Saúde. “A gente vai lá [na secretaria de Saúde] e eles ficam nos mandando de um lado pro outro. Estou há três anos esperando uma ressonância magnética e nada”, declarou.

Nota da Câmara

Na manhã desta terça-feira (12), a Câmara de Vereadores se manifestou sobre a retirada dos manifestantes. Confira a nota oficial a seguir: 

NOTA OFICIAL
    
A respeito do pedido de retirada dos manifestantes na sessão ordinária desta segunda, 11 de março de 2019: A Câmara Municipal de Mandaguari, por meio da Presidência e corpo jurídico, informa que a ação foi tomada após nove interferências do público manifestante (expressadas por meio de vaias, gritos e até xingamentos) interromperem a fala de vereadores. O Presidente da Casa, Hudson Guimarães, clamou por ordem ao menos sete vezes até que a medida de saída fosse tomada. A ação seguiu os cumprimentos do Regimento Interno da Câmara, destacados no fim da nota.  

Assim, a decisão de retirada dos manifestantes se deu com o intuito de a sessão prosseguir de acordo com o regimento, bem como em respeito ao público que assistia a sessão de forma ordeira e respeitosa. Reitera-se que a manifestação democrática é um direito de todos os cidadãos e extremamente valorizada por todos os membros da Casa. Da mesma forma, os ritos estabelecidos ao Legislativo devem ser seguidos para que a sessão tenha validade e os atos contidos em pauta sejam votados. 

Destaca-se, ainda, que em respeito à democracia e à transparência, as sessões do Legislativo mandaguariense são abertas ao público e acontecem todas as segundas-feiras, às 20h. 
    
TRECHO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO: 

Art.244. As pessoas poderão assistir às sessões públicas, do local reservado para este fim, desde que:
[...] II – mantenham-se em silêncio durante os trabalhos;
III – não manifestem apoio ou desaprovação ao que se passar em Plenário;
IV – não interpelem e respeitem os vereadores;
V – atendam às determinações da presidência;
§1º - Pela inobservância desses deveres, os assistentes perturbadores ficarão obrigados, pela presidência, a se retirar do recinto da Câmara. [...]